sexta-feira, 11 de abril de 2008

...De Uma Rainha...




















Descobre-te Rainha devassa.
O que procuras aqui
Um reles escravo, um servil
Para que de tão Vil.
Mulher te faça, e a ele servir,
Aromas novos procuras,
E de pura a eles te dás
Sentes prazer nos gemidos,
Nos urros nos grunhidos,
Nos trapos amarfanhados
Percorrendo teu corpo alado
Te deleitas nos banquetes
Que a eles serves serpente
E não mais que de repente
Em molhos de feno te servem
A servis iguais e dementes

Teu cetro não tens mais
O poder assim trocastes
Por andrajos que de passagem
Te levaram para servir
A guerreiros e andantes.
E prazeres possas sentir.
E então do Mediterrâneo sair.

*este poema nasceu com outro fim,.....
Não publicado ainda, mas seria um dueto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário