sexta-feira, 11 de abril de 2008

Mulher Bem Amada




















Amor deixa a mulher úmida
Brilho molhado nos olhos
Olho marejado lágrima tal orvalho
Brilho intenso tal diamante

Mulher que ama...
Deseja, arde, mantém a chama
Aquece, ferve por dentro, escorre
Paredes meladas úmidas tremendo

Rios ocultos nascem se esvaem
Com as seções e sensações dadas
Pelos amados à tanto desejadas
As mesmas que um dia iniciaram de mãos dadas

Vontades se vão, se dão
O encanto a tudo permite
Os fardos se dividem enlevessem
E a aspereza ganha suavidade

No Momento. O prazer
mulher amada se dilui
Seus Olhos a denunciam
Seus cheiros arrepiam
Ela sentiu enfim.

ESTAR AMADA

Nenhum comentário:

Postar um comentário