sexta-feira, 11 de abril de 2008

à Realeza















Rainha mãe, esmerada
Atenciosa, caprichosa
Sua princesa embalas
Apesar de todas as falas
Em nada te abalas.

Carinhosa, atenta.
Galanteadora
A tudo olha e pondera
Rainha acalentadora, tutora

Os sinais pondera.
Aos ais dá carinhos,
Aos descalabros repreende
Mas sempre Rainha
Sempre mãe, sempre entende.

Mãe quero comer.
Sim, e tudo parou.
Mãe olha aqui.
Sim, seu olhar mudou
Mãe vai ali.
E às vezes depois de horas
De intermináveis dias
Trabalhosos.
A Rainha em sua Majestade
Vai sim, e se de valdo
A repreensão virá.
Mas primeiro
E sempre sorrindo
A Sua princesa servindo
Formando assim p’ro amanhã
Sua Alteza a Princesa.


A você Rainha mãe.
Meu carinho e compreensão
E que a essa Princesa então
Jamais falte Sua Mão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário